quinta-feira, 3 de junho de 2010

ANÁLISE CRÍTICA

Vídeos apresentados na palestra realizada pela locutora Tatiane Campos no dia 28/05/2010 sobre as mensagens subliminares através dos meios de comunicações e as produções audiovisuais.

As mensagens subliminares mostradas nas imagens são aquelas que apresentam de alguma forma e maneira algo real ou apenas virtual, sendo assim registradas de forma forte na memória sem que o telespectador perceba, que no decorrer do tempo serão desenvolvidas de maneira sutil e impactante. As informações recebidas fazem com que a pessoa realize algumas das mensagens que ficaram registradas no cérebro. As mensagens são criadas e utilizadas de maneira em que sutilmente e propositalmente sejam inculcados tanto na mente que eleva a pessoa a desenvolver alguma atitude para o bem quanto para o mal. Tantos as mensagens quanto às produções audiovisuais servem também para o trabalho de conscientização, se forem usadas e utilizadas de maneira correta, com certeza irá transmitir e terá um efeito no que se quer mostrar, sendo transferida e inserida simultaneamente no cotidiano de cada ser humano. Muitas mensagens são feitas com o objetivo de fazer o telespectador incentivado pela a mesma a consumir ou usar algo que ele não precise. Essas mensagens que foram utilizadas nos mostram a verdadeira realidade das nossas ações, pois a humanidade é má de natureza procurando o seu próprio interesse e “bem estar”, sacrificando e ignorando a vida em todos os sentidos, a informação é: Se não houver uma educação de valores, regras e respeito, estaremos nos destruindo, porque sentimento sem ação gera degradação, não basta acharmos uma paisagem bonita sem preservação da mesma, não basta à realização de um belo um casamento sem cultivar o respeito entre ambos, levando como conseqüência reflexos a destruição e até a morte de um dos cônjuges, não basta valorizar o exterior enquanto belo, destruindo o interior, é certo que mostramos o melhor que existe de cada um. Quantas pessoas sentem-se sozinhas em meio à multidão necessitando de atenção de serem reconhecidas pelas contribuições que deram. O que se torna luxo para a maioria, conseqüentemente torna-se lixo para os demais. A falta de amor entre as pessoas deixam marcas que são indeléveis, como foi mostrado nas imagens exibidas. A lei do AMOR dará o que a humanidade perdera com o afastamento do seu criador, levando assim ao grande caos que se encontra o mundo em que vivemos. Esses recursos usados e utilizados unidos a educação podem tornar possível um novo aspecto e sentimento, que com certeza incentivarão é facilitará a uma reeducação e reflexão na qual permitirá ao leitor a captação da transmissão de algo que inconscientemente o telespectador viu ou ouviu, e que de alguma forma possam utilizar no seu dia a dia. O poder que a telecomunicação tem é muito grande, pois conseguem utilizar qualquer imagem ou mensagem em algo que nos afete e nos tornem de alguma forma alienados. Por isso se faz necessário a utilização deste meio para nos ajudar como forma educativa, com mais propagandas educativas se possível durante todo o período de transmissão e programação e na sala de aula com o incentivo do professor na elaboração de trabalhos e pesquisas de acordo com a necessidade de cada turma em relação ao tema abordado. Com isto, aproveitaríamos esse poder para algo que impactasse e reestruturasse a educação no seu contexto geral.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

CRESCIMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

video

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UM DESAFIO PARA EDUCADORES E COMUNICADORES

Max G. Haetinger

Quando se fala de educação a distância, fala-se em um assunto da moda nestes últimos tempos.Todas as instituições estão voltadas para este tema agora. Mas que revolução ou que nova forma é esta de educar os seres humanos?
Para começar, a
educação a distancia é tão antiga quanto a existência do seres humanos no planeta Terra. Sem querer ser filósofo, esta começou, certamente, quando homens das cavernas faziam traços nas paredes, mostrando as etapas da caça ou outras informações que, gravadas na pedra, serviam de referência para estas civilizações. Mais tarde, a escrita e a sua evolução através de livros, por exemplo, e outros meios de registrar a informação a substituiriam.
Já nos últimos anos, o ensino a distância proliferou com a educação via "Correio" (com cursos que funcionavam através de materiais enviados por esse meio de comunicação). No Brasil, isto se tornou muito forte no ensino técnico, tão esquecido nas escolas e muito divulgado nos anos 60 e 70 do século passado. As instituições usavam principalmente as apostilas para este tipo de educação.
Recentemente, surgiram novas tecnologias que foram utilizadas para o ensino a distância, como a fita K7, muito usada em cursos de línguas e as fitas de vídeo. Claro que, com todas estas ferramentas, o ensino a distância começou a se tornar mais atraente, e o ato de educar mais eficaz, proporcionando que alguém, mesmo estando longe e sem a aula presencial, pudesse aprender.
Porém, apesar desses avanços do ensino a distância, ainda ficavam no ar muitas dúvidas quanto à assimilação, à eficácia real desse método, à falta de estímulo causada pela solidão no ato de aprender e muitas outras questões. Certamente, estas dúvidas afastavam instituições mais "sérias e renomadas" deste tipo de atividade, também por medo, descrédito ou desinteresse econômico.
Nesse momento, então, entraram a informática, com o computador, e, principalmente, a comunicação em rede (Internet) como grandes revoluções na área de ensino a distância. Com a chegada da informática e da comunicação em tempo real, online, houve um redescobrimento do significado da educação a distancia.
Logo, um grande número de instituições voltadas ao ensino universitário e técnico começou a desenvolver trabalhos nestas áreas, utilizando esta nova tecnologia como grande suporte para este tipo de educação. Estas instituições também se interessaram por uma necessidade de ampliação de mercado (devido à concorrência na área educacional), pela escassez cada vez maior de espaço físico para atender a demanda de alunos que procuram as escolas e universidades, e para encurtar a distância entre países tão continentais como Estados Unidos e BRASIL.
E estamos, aqui, em frente a um computador, ligados à Internet, com vídeos interativos e vídeo-conferências, aprendendo e ensinando, e, principalmente, oferecendo a capacidade real de uma transmissão de conhecimento em larga escala com abrangências mundiais.
Isto até parece filme de ficção científica, mas não é! Por isto, educar a distância ou mesmo desenvolver possibilidades de uma educação virtual são marcos desta nova sociedade globalizada. E nos cabe, como educadores e comunicadores, descobrir as melhores formas de desenvolver as muitas possibilidades de ensinar nesse novo modelo, quando não estamos com o aluno a nossa frente. Temos o compromisso de ser profissionais que conseguirão unir áreas tão complexas como a educação, a comunicação e a informática. O desafio está lançado e nós, sociedade, temos que colocar a mão na massa.
EDUCAR É ENCURTAR CAMINHOS, É OFERECER SAÍDAS, É DESCOBRIR O AMANHÃ..

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Falando sobre Educação a Distância

Os cursos de Educação a Distância, inicialmente, se deram através dos formatos por correspondência. Posteriormente, foram utilizados também recursos de rádio e televisão como suporte de veiculação de mensagens. Buscava-se em um primeiro momento superar os limites de origem geográfica e de propor a democratização do ensino. Com o uso da internet nos dias atuais, além da proposta de superação de limites geográficos, a Educação a Distância, hoje, é uma possibilidade de maior amplitude de escolhas para o aluno quanto aos conteúdos e aos meios de aprendizagem. A nova proposta pedagógica exigida para oferta de Educação a Distância passa por análise de pedagogos, professores, e técnicos de várias áreas de tecnologia, o que institui claramente a necessidade de uma equipe multidisciplinar na produção e oferta dos cursos.No planejamento de projetos EAD é importante definir questões tais como: qual é o objetivo do curso, qual é o público-alvo, identificar qual a metodologia educacional a ser utilizada, incluindo procedimentos de ensino e critérios para formulação de conteúdo, estratégias de aprendizagem e tipos de mídias a serem utilizadas, mais adequadas a este projeto. Estes tópicos são, especificamente, tratados em relação ao desenho instrucional do curso online.Segundo Campos (2007), para realizar um planejamento, é necessário definir-se um método, a fim de que todas as ações a serem realizadas sejam descritas. Sem requisitos bem especificados, sem definições e um design acurado dos cursos, não há como desenvolver e proceder às avaliações dos mesmos (Campos, 2007, apud ANDRIOLE, 2002).O planejamento de um curso de Educação a Distância tornou-se, pois, uma das principais questões diante da proposta de uma nova modalidade de ensino a ser desenvolvida e sua nova relação com os processos de aprendizagem.Devemos considerar que novas relações devem ser cuidadosamente estabelecidas em substituição às relações presenciais (em cursos EAD o curso pode ser totalmente à distância, ou híbrido, ou seja, com encontros presenciais periódicos), de modo que o aluno, apesar de separado geograficamente, se sinta adequadamente orientado no seu processo de estudo.Segundo Litwin (2001), embora a modalidade a distância permita uma organização autônoma dos estudantes, não se deve esquecer que nela selecionam-se os conteúdos, orienta-se o prosseguimento dos estudos e propõem atividades para que os estudantes resolvam os mais complexos ou os mais interessantes problemas. Os programas de educação à distância contêm uma clara proposta didática, enfatizam a autonomia dos estudantes em relação à escolha de espaços e aos tempos para estudo. Esta autonomia não deve ser confundida com o autodidatismo, pois o autodidata é o estudante que seleciona os conteúdos e não conta com uma proposta pedagógica e didática para o estudo.Esta nova modalidade de ensino é baseada, indiscutivelmente, no planejamento prévio e cuidadoso, baseado em materiais impressos, vídeos, áudios, atividades pré-estabelecidas em AVAs - Ambientes Virtuais de Aprendizagem etc. Devemos observar que a produção de materiais é uma parte da ação de planejamento do curso. A proposta de aprendizagem será complementada com o uso de recursos, tais como: AVA, videoconferência, com o uso das tutorias à distância e tutorias presenciais, encontros presenciais programados previamente etc. A nova proposta baseada em planejamento prévio e uso de recursos tecnológicos educacionais vem contribuir para a Educação como um todo, não só na modalidade a distância, mas também na modalidade de ensino presencial.ReferênciasCAMPOS, Gilda Helena Bernardino de. Planejamento de Projetos em Educação a Distância. In: SENAC – Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial. Programa de Pós-Graduação em Educação a Distância – Unidade 4: Competências, Planejamento e Avaliação. Rio de Janeiro, Editora SENAC, 2007. p. 48-62.LITWIN, Edith. Educação a distância: temas para o debate de uma nova agenda educativa. Porto Alegre: ArtMed, 2001.http://www2.abed.org.br/

Educação a distância por videoconferência


A educação a distância por videoconferência pode ser considerada como uma alternativa de formação profissional tanto para empresas que querem treinar seus empregados como para instituições educacionais que querem capacitar seus professores. Em termos de vantagens econômicas, a videoconferência permite dispensar treinamento diretamente no local de trabalho ou nas instituições educacionais que possuam o equipamento necessário. O uso da videoconferência reduz os custos de transporte e de alojamento, além de evitar os deslocamentos tanto de alunos como de professores e a necessária substituição dos que saem para estudar. No caso do Brasil, com a verba necessária para mandar um professional-aluno estudar fora, é possível qualificar até 25 funcionários dentro do próprio local de trabalho (Veja, 16/06/99, p. 119).
Cruz e Moraes (1998) listam algumas vantagens e desvantagens do uso da videoconferência na educação, tendo em vista o atual parâmetro tecnológico.
Vantagens:
permite uma transição mais gradual dos métodos presenciais
permite espaço colaborativo para socialização e aprendizado colaborativo em grupo
possibilita escolher e planejar cursos mais interativos para classes pequenas ou menos interativo para grandes audiências
pode-se escolher os meios de transmissão conforme a possiblidade, disponibilidade e demanda.
Desvantagens
a baixa qualidade de som e imagem
dificuldade de se adaptar a sala de videoconferência a situação didática
os altos custos de implementação, instalação e manutenção comparados com um baixo uso na fase inicial
altos custos de transmissão das linhas telefônicas
por desconhecimento, não utilziar todo o potencial didático do meio, reduzindo-o a mera reprodução de palestras, com pouca interação entre os participantes.
As experiências de ensino a distância mostram que o uso da videoconferência motivapositivamente tanto alunos quanto professores. A expectativa de utilizar tecnologia de ponta na sala de aula traz, ao mesmo tempo, curiosidade e apreensão pela possiblidade de experimentar um jeito novo de ensinar e aprender. Representa principalmente um desafio para o professor, que precisa adaptar sua maneira de ensinar à nova dinâmica da aula.
A grande pergunta que se coloca para quem vai ensinar por videoconferência é: como preparar essa nova aula? Ela terá que sermuito diferente da aula comum, presencial, em que todos os alunos estão na mesma sala, sem a necessidade da interface representada pela tela de TV? Que novas competências precisam ser adquiridas?
Cyrs (1997) relaciona algumas das competências que o professor precisa desenvolver para ensinar através da videoconferência:
planejamento e organização dos cursos;
habilidades de apresentação verbais e não verbais;
conhecimento sobre como incentivar trabalho colaborativo em grupo;
dominar estratégias de questionamento;
possuir profundo conhecimento sobre o conteúdo da disciplina;
saber como envolver estudantes e coordenar suas atividades a distância nos diferentes locais;
possuir um conhecimento básico sobre teorias de aprendizagem;
dominar um conhecimento sobre o campo do ensino a distância;
ser capaz de desenvolver guias de estudo relacionados ao que vai na tela da televisão;
desenvolver um racioncínio gráfico e pensar visualmente.
A preparação dos professores é fator primordial para o sucesso e a continuidade de qualquer programa de educação a distância. Isso porque, ao contrário do ensino face-a-face, os desafios para quem vai ensinar a distância são enormes. É preciso recriar o curso de uma nova maneira, deixar o papel de provedor para o de facilitar de conteúdos, adquirir segurança e eficiência ao usar a tecnologia como uma ligação principal entre alunos e professroes, aprender a ensinar efetivamente sem o controle visual proporcionado pelo contato "olho-no-olho" direto, desenvolver um entendimento e uma apreciação pelo estilo de vida dos estudantes a distância.

.
Educação a distância: limites e possibilidadesSylvia Vergara *
1. Por que educação a distância? Educação a distância é um conceito muito em voga atualmente. Primeiro, porque vivemos a era da informação, e saber trabalhar com ela é fundamental para poder gerar conhecimento e adquirir vantagem competitiva. Segundo, porque para usufruir de tal vantagem é preciso ter um grande contingente de pessoas capazes de gerar conhecimento e, nesse aspecto, a educação formal é um meio privilegiado. Terceiro, porque as tradicionais formas presenciais de educação, sozinhas, não dão conta da empreitada que hoje se coloca para países, estados, municípios, empresas, organizações em geral.